o espaço das minhas coisas

Sábado, 14 de Dezembro Variedades por Casa Durval Paiva

Efeitos colaterais orais da radioterapia em crianças, por Anna Letícia Xavier de Lima - Dentista - Casa Durval Paiva

A radioterapia consiste na utilização de radiações ionizantes para destruir células tumorais. A radiação danifica o material genético da célula do tumor, evitando que ela cresça e se reproduza. A quantidade de sessões, radiação utilizada e o tempo de exposição são determinados pelo tipo e tamanho do tumor. É indicada para tratar tumores sólidos, mas também se utiliza para o tratamento de leucemias e linfomas. Pode ser empregada como tratamento isolado ou combinada à cirurgia e quimioterapia.

A radioterapia atinge diretamente o mecanismo de divisão celular, tornando-se bastante eficiente nas células cancerosas, devido a sua característica de crescimento desordenado. Em crianças, apesar dos tumores apresentarem maior velocidade de crescimento, proliferando-se mais rapidamente e tornando-se assim mais sensível à radiação, as células normais também estão em processo de reprodução contínuo, por estar em fase de desenvolvimento. Por isso, o tratamento radioterápico deve ser ministrado com muito critério às crianças, por apresentar maiores possibilidades de efeitos colaterais da radiação nos tecidos e órgãos em desenvolvimento.

A mesma radiação que destrói os tumores, também agride as células sadias, podendo causar efeitos colaterais que podem se manifestar na cavidade oral. Estes efeitos podem ser observados durante ou após o tratamento radioterápico. As reações mais comumente observadas são: mucosite (grandes ulcerações em área de mucosa), xerostomia (boca seca), disgeusia (diminuição do senso do paladar), candidose e radiodermite. Também podem surgir de forma crônica, meses ou anos após a terapia, sendo mais comum efeitos como: a hiposalivação (diminuição da capacidade de salivação), trismo (limitação de abertura bucal), osteorradionecrose (espaço de osso desprotegido e necrosado) e a cárie de radiação.

Sendo assim, é fundamental que o profissional de odontologia e demais profissionais da área da saúde estejam cientes destes distúrbios orais decorrentes da radioterapia, para que possam ajudar os pacientes a obter melhor qualidade de vida durante o seu tratamento. Na Casa Durval Paiva, os pacientes submetidos à radioterapia recebem acompanhamento do setor de odontologia antes, durante e após o tratamento radioterápico, para que seja realizada a prevenção contra esses efeitos colaterais, assim como o acompanhamento durante e após a radioterapia, para estabelecimento da saúde bucal.

COMPARTILHE