Sábado, 21 de Abril Variedades por Rildo Lima

Hoje tem Rildo Lima no Bombar

Sábado, 21 de Abril Variedades por Nelson Rebouças

Porão das Artes com programação cultural

E assim prossegue nossa programação:

SÁBADO  21 às 14h,  Módulo 02 da oficina "Arte em Palha de Coqueiro! Uma parceria Fundação Parnamirim de Cultura e Porão das Artes !

DOMINGO 22 às 17h,  duo DOUBLE CRAZY, formado por Gustavo Cocentino & Danilo Tigre pela primeira vez no Porão das Artes!
 
No repertório, uma verdadeira miscelânea de clássicos do pop, do rock &  do blues. Dos anos 60 aos anos 2000.

Na ocasião, o Porão das Artes estará recebendo um  encontro de motociclistas, vindo de um Rider feito  pelo litoral  Sul. Entrada R$ 10!

Aceitamos cartões exceto hiper card.
Locamos o espaço  para os mais diversos gêneros de eventos! 9 9922 8188 tim/zap!

Sábado, 21 de Abril Notícias por Nathy Passos

Regina Melo - a fênix e o dragão

A escritora amazonense Regina Melo lança em primeira-mão no próximo dia 12 de maio, às 10 horas, no espaço Berimbau, na Vila de Ponta Negra, Rua do Currupio, 210, o romance A fênix e o dragão - paixão e eterno retorno, último livro da trilogia mitológica que escreveu sobre temas universais, tendo como pano de fundo a Amazônia. O pré-lançamento antecede à apresentação oficial que ocorrerá em 15 de junho, em Manaus, como fechamento de sua obra literária, editada pela Nelpa, com o patrocínio do Banco da Amazônia. 

Regina Melo é autora dos romances Ykamiabas - filhas da lua, mulheres da terra (que embasou o enredo da escola de samba carioca Acadêmicos da Rocinha, em 2010) e Oceano Primeiro - mar de leite, rio da criação. Ambos integram a trilogia mitológica inspirada na composição dos elementos básicos da natureza. Os romances trazem à tona as mulheres guerreiras, ykamiabas, com o seu despertar para a consciência feminista, bem como a eterna busca pelo nosso lugar sagrado e a luta pelo poder e pelas mudanças.

Sábado, 21 de Abril Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos de Ponta Negra - calmaria em cena

Acordo com o tempo chuvoso e sem pressa parto para fumegar café e comer.
Em seguida o sofá herdado acolhe o corpo ainda com resquícios de moleza e a série Tróia apresenta um capítulo intenso e vibrante.
Observando fiquei pensando no quanto cada diretor imprime sua maneira de ver a história, tendo uma série a possibilidade de esticar dramas, ampliar sofrimentos e ofertar detalhes, que filmes não podem pelo limite do tempo onde a narrativa precisa ser ambientada.
Pensando nisso decido inserir meu ser no grande épico do big criador e diretor, chamado pela maioria de Deus.
Diariamente ele nos dirige por séries e séries, por todo o planeta, nos entrelaçando, fazendo amar, odiar, vencer e perder, procriar, desfalecer, subir, descer, endoidar, regosijar, ficar rico, pobre, enfim, esse nosso viver com papéis que mudam a todo instante, compõe esse livro, escolhendo este humilde ator, escrever as linhas da manhã no cenário de Ponta Negra, cidade do Natal, país Brasil, América do Sul, ocidente, planeta Terra.
E a decisão do diretor de retirar o sol, jogou certa malemolência na história, com a caminhada pela praia revelando um travesti bem calminho, contemplativo até, radicalmente oposto do modelo barulhento e andar a la escola de samba, percebendo ainda pescadores na manutenção dos barcos, vendedores sem agonia, surfistas filósofos ao mar, policiais sonolentos, atletas mais para papo que para bolas e um mar que lembra espelho, no lugar de turbilhão.
Quando o sol não agita, a cena está tranquila, tudo ao redor vira slow motion.
Por determinação do diretor geral Ponta Negra está em câmera lenta, suave, light, laricada.
E assim me comportei. Andei devagar, fiz meus pedidos espirituais bem pausadamente, um banho sem pressa e sentei para dedilhar este escrito assim, sem agonia para finalizar.
Assim como Tróia pode ser contada de várias maneiras, a vida também pode ser vivida de formas variadas.
Uns acreditam que existe um diretor por trás e se entregam a seus desígnios. Outros não. Já pensei nas duas possibilidades. Por via das dúvidas as vezes me entrego, noutras faço meu próprio script.
No fim nem sei se saberei como de fato é. Se tudo acabar e nada de nada restar, acabou.
Se acabar e no day after algo puder recordar, espero que as coisas que escolhi protagonizar, tenham sido boas.
Feliz em amorosa confraternização com o Criador direi: se quiser mais uma vez, estou pronto, voltarei...

Flávio Rezende aos vinte e um dias, mês quatro, ano dois mil e dezoito.10h29. Praia de Ponta Negra.

Sábado, 21 de Abril Variedades por Graciema Carneiro

A vida colorida de Vitória

O livro infantil  “A VIDA COLORIDA DE VITÓRIA – VITÓRIA’S COLORFUL LIFE” da cearense Tereza Custódio, será  lançado no próximo domingo, 22, no Parque das Dunas,  às 8h30, em Natal.

E não para por aqui, a obra foi lançada recentemente em Fortaleza,  e seguirá com a autora para os autógrafos em Genebra, na Suíça (29/04) e depois Milão, na Itália (05/05), além de participar, através da Contadora de história Eva Potiguar, do acervo de literatura infantil da II EXPO Intinerante Internacional que ocorrerá em Londres em maio vindouro.

Sinopse da obra

A Vida Colorida de Vitória é um livro bilíngue Português – Inglês e  traz em seu enredo  o cotidiano da menina Vitória. Numa linguagem poética, com rimas suaves e melodiosas, usando as cores como tema, a autora oferece uma opção para as crianças se perceberem nesse universo tão cheio de cor e alegria. Os desenhos são ilustrados por Raíssa Bulhões e captam a inocência da infância e o lado belo e colorido da vida. 

Sobre a autora

Tereza Custódio nasceu no Ceará em 1952. Graduada em Letras pela UFRN, tem especialização em Línguas Estrangeiras e Artes Cênicas e foi professora do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). Em 2017 teve seu primeiro romance publicado, “O Bálsamo”, premiado pela União Brasileira de Escritores-UBE/RJ e  obteve  o 1º lugar em concurso pela União Brasileira de Trovadores-UBT/MG.

No forno

O livro em cordel, com 130 sextilhas sobre a “Herança da Diáspora Africana” terá seu lançamento em brevve e, o  segundo romance, “O Baú de Filomena”, está em andamento. A romancista, cordelista e trovadora é membro da União Brasileira de Escritores (UBE/RN), da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN (SPVA-RN) RN e da A.C.I.M.A/Itália.

Designer

Raíssa Bulhões nasceu em Natal em 1992. Formou-se em Design Gráfico em 2014 pela UFRN e desde 2011 trabalha com ilustrações.

Sexta, 20 de Abril Variedades por Joaquim Tur

JoaquimTur e seus destinos

31/Mai - Saìda às 2hs AGAÈ
31/Mai - Porto de Galinhas/PE saìda pòs almoço(Ň Incluso), hospedagem imediata com  jantar incluso.
01/ Jun - Saìda apos cafè da manhã para Cannyons do São Francizco/SE com Passeio Catamarã e Almoço inclusos. 02/ Jun - Saìda City tour em Maceiò com Shopping Jatiuca a noite.
 03/ Jun - Manhã Livre Curtir Hotel e Maragogi/AL saida após almoço com chegada prevista para Natal por volta das 23hs.

Sexta, 20 de Abril Variedades por Flávio Rezende

Criança não namora

A sociedade de psicólogos está com a campanha: Criança não namora. 

A Criança se relaciona com os amiguinhos e eles são simplesmente amigos. Amizade é o nome. Insistir em namoro na infância é adultizar as crianças, incentivar a erotização precoce. A indústria de brinquedos, roupas e cosméticos já investe tanto na adultização infantil! Não vamos fazer o mesmo. Não é engraçadinho incentivar beijinhos de namoro ou declarações de amor entre as crianças. É nosso papel separar o mundo adulto do mundo infantil. Misturar os dois mundos é cair no erro da erotização precoce. A infância precisa de proteção e não de adultos que afastam a criança daquilo que é próprio pra idade dela.
 
Ajudem-nos a conscientizar os pais e responsáveis!
Compartilhe com seus amigos e familiares!